Autor
Contactos
Links
Espaço DMA
Os meus sites
Promoções, Silêncios, Desvirtuações
Terceiro Mundo em Notícias
Foi Você que Pediu um Bom Título?
YouTube
VÍDEOS EM DESTAQUE
Twitter
Facebook
Rádio BLIP
PODOMATIC DMPA
Manchete
Slideshare DMPA
Slideshows DMA
Torga em SMS
Centenário da República
Sítios dos meus alunos
Espaço A
Media Critics
Polémicas
Derrapagens
Da Condição de Jornalista
Educação para os Media
Fotografia
Fotojornalismo
Internet
Blogosfera
Televisão
Imprensa
Rádio
Agências Noticiosas
Design Gráfico
Publicidade
Público & Privado
Leituras
Revival
Vária
Recreio

 Inquérito









 Velvet Secret

Velvet Secret
Queima das Fitas, Coimbra, Maio 2007
Get flash player to play to this file



DEPOIS DE 216 ANOS EM GRANDE
The Times muda para formato tablóide
Após 216 anos de existência como diário de grandes dimensões, o The Times foi ontem [31.10.2004] publicado pela última vez em formato broadsheet.
A partir de segunda-feira será unicamente disponibilizado em formato tablóide, reduzindo o tamanho das suas páginas para metade, numa edição mais compacta.
 
«Segunda-feira, 1 de Novembro de 2004 vai ser uma data importante na longa e extraordinária história do Times», anunciava ontem num editorial da página 2, o chefe de redacção do jornal, Robert Thompson.

Continuando no encalço do The Independent (centro-esquerda) que optou pelo formato reduzido desde 17 de Maio, o Times, conservador, do grupo de imprensa do magnata australo-americano Rupert Murdoch, deixará de ficar disponível na versão broadsheet, à excepção de domingo, com a sua edição do Sunday Times.

A nova experiência do formato «compacto» - termo escolhido para evitar falar de tablóide, geralmente associado à «imprensa de sarjeta», como o Sun ou o Daily Star e à sua célebre menina nua da página 3 - tinha sido iniciado pelo Times a 26 de Novembro de 2003, enquanto o grande formato continuava a coexistir.

«Testámos as vendas das edições em formato compacto na Escócia, Irlanda do Norte e em Inglaterra, que progrediram significativamente quando abandonámos em definitivo o grande formato», sublinhou à AFP Paul Hayes, director geral do jornal, justificando assim a passagem a cem por cento a compacto.

A decisão de passar a formato único a partir do início da próxima semana apanhou muita gente de surpresa, porque se acreditava que o Times iria continuar a sair nas duas versões (broadsheet e compacto). O segredo começou dentro do próprio jornal, onde pouca gente sabia da novidade, e lançou a desconfiança entre os trabalhadores quanto a uma possível redução de pessoal.

Risco. Actualmente, como segundo diário britânico dito «de qualidade», com cerca de 660 mil exemplares vendidos diariamente - embora longe dos 914 mil exemplares do conservador Daily Telegraph-, o Times não deixa de dar um passo arriscado. Nos locais onde estava disponível no grande formato, vendia 200 mil exemplares. Esses leitores poderão agora voltar-se para as fileiras do Telegraph (direita) ou o Financial Times (centro-direita).

Geralmente associado à «imprensa de esgoto», o formato tablóide era até agora considerado como um passo azarado para os jornais ditos «de qualidade». Mas a experiência bem-sucedida com o Independent, cujas vendas cresceram 21% entre Setembro de 2003 e 2004, ajudou a dar este passo.
 
Respigado do Diário de Notícias
Ver artigo original



Data: 2005-12-10

© 2005-2013 - Mediapolis - Design by Ectep