Autor
Contactos
Links
Espaço DMA
Os meus sites
Promoções, Silêncios, Desvirtuações
Terceiro Mundo em Notícias
Foi Você que Pediu um Bom Título?
YouTube
VÍDEOS EM DESTAQUE
Twitter
Facebook
Rádio BLIP
PODOMATIC DMPA
Manchete
Slideshare DMPA
Slideshows DMA
Torga em SMS
Centenário da República
Sítios dos meus alunos
Espaço A
Media Critics
Polémicas
Derrapagens
Da Condição de Jornalista
Educação para os Media
Fotografia
Fotojornalismo
Internet
Blogosfera
Televisão
Imprensa
Rádio
Agências Noticiosas
Design Gráfico
Publicidade
Público & Privado
Leituras
Revival
Vária
Recreio

 Inquérito









 Velvet Secret

Velvet Secret
Queima das Fitas, Coimbra, Maio 2007
Get flash player to play to this file



No dia em que o DN foi banido da SIC NOTÍCIAS

17 de Novembro de 2001, sábado, 7 da manhã. Na SIC Notícias faz-se a revista da imprensa do dia. Primeiro o Público, depois o Jornal de Notícias, depois o Diário de Notícias, ainda o Expresso.

17 de Novembro de 2001, sábado, 8 da manhã. Na SIC Notícias faz-se a revista da imprensa do dia. Primeiro o Expresso, depois o Diário Económico, depois o Público, depois o Jornal de Notícias, ainda o Diário de Notícias.

17 de Novembro de 2001, sábado, 10 da manhã. Na SIC Notícias faz-se a revista da imprensa do dia (às 9h não houve). Primeiro o Público, depois o Diário Económico, depois o Expresso.

O Diário de Notícias desse sábado fazia manchete com uma entrevista a Emídio Rangel, ex-director da SIC, agora dirigindo a RTP. Às sete horas, palavra à pivot: "No Diário de Notícias a guerra no Afeganistão também em destaque este sábado -- desgoverno no Afeganistão. Faz manchete ainda duma entrevista com Emídio Rangel -- Balsemão está desorientado".
Às 8 horas, palavra à pivot: "No Diário de Notícias destaque também para o desgoverno no Afeganistão".

Às 10 horas não vale a pena dar a palavra à pivot, que o DN fora banido da revista de imprensa. Depois de, às 8h, o destaque ter passado para o fundo da página, e a manchete ter sido ignorada, às 10h ignorou-se o jornal inteiro". O único critério jornalístico que se vislumbra para esta opção é o critério-patrão.

No Público, Luciano Alvarez apercebeu-se da coisa, assim a comentando, com uma pergunta assaz pertinente no remate: "Todas as manhãs, o canal de notícias de Pinto Balsemão faz uma revista de imprensa. Revela primeiro as manchetes dos jornais e, depois, a totalidade ou parte das restantes chamadas da primeira página. Ontem, foi mais uma vez assim com todos os jornais, menos com o 'Diário de Notícias'. Ás 8 da manhã, a 'pivô' de serviço leu apenas parte da capa do 'DN', dando a entender que a manchete era a notícia que tinha por título 'Desgoverno no Afeganistão'. Não era. A manchete referia-se a uma entrevista com Emídio Rangel, em que o ex-homem forte da SIC e hoje director-geral da RTP afirmava que 'Pinto Balsemão [patrão da SIC] está desorientado'.

Essa manchete foi escondida na primeira apresentação e, na segunda, uma hora depois, foi o DN que desapareceu da revista de imprensa. Lamentável, ainda mais num canal de televisão que foi uma lufada de ar fresco na informação televisiva em Portugal.
A partir de ontem, a SIC-Notícias perdeu parte da credibilidade que merecidamente ganhou. E a haver, como diz Rangel, desorientação na SIC, ela não é só de Pinto Balsemão.
PS - Mais uma informação: o director do 'DN' é comentador da SIC-Notícias. Será que vai ser despedido do canal por fazer aquela manchete no jornal que dirige?". ("Desorientação". Público, Luciano Alvarez, 18.11.2001).




Data: 2009-06-08

© 2005-2013 - Mediapolis - Design by Ectep